Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Mato Grosso adere ao segundo ciclo do Programa de Consolidação do Pacto Nacional pela Gestão das Águas

Notícias

Mato Grosso adere ao segundo ciclo do Programa de Consolidação do Pacto Nacional pela Gestão das Águas

por Raylton Alves - ASCOM/ANA publicado: 29/12/2017 10h00 última modificação: 23/01/2018 17h33
Zig Koch / Banco de Imagens ANA Pantanal (MT)

Pantanal (MT)

Mato Grosso é o mais novo estado a aderir ao segundo ciclo do Programa de Consolidação do Pacto Nacional pela Gestão das Águas (PROGESTÃO 2), iniciativa da Agência Nacional de Águas (ANA) que visa a fortalecer a gestão de recursos hídricos através do cumprimento de metas pelos órgãos gestores estaduais de recursos hídricos. Com a publicação do contrato no Diário Oficial da União desta sexta-feira, 29 de dezembro, o estado poderá receber até R$ 5 milhões de forma proporcional às metas cumpridas pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente (SEMA). As metas mato-grossenses são sugeridas pela Secretaria e passam por avaliação da ANA e do Conselho Estadual de Recursos Hídricos (CEHIDRO) antes de serem aprovadas. O contrato firmado pela SEMA e pela Agência vai até 30 de setembro de 2022. 

Para que cada unidade da Federação (UF) possa receber R$ 1 milhão por ano, o segundo ciclo do PROGESTÃO determina que os estados e o DF invistam na gestão de recursos hídricos com orçamento próprio – são as novas metas de investimentos, segundo a Resolução ANA nº 1.506/2017. A Agência repassará às unidades da Federação o mesmo valor comprovadamente investido por elas até R$ 250 mil de acordo com as metas de investimentos. Além disso, a ANA repassará até R$ 750 mil por ano, sendo até R$ 500 mil pelas metas de cooperação federativa e até R$ 250 pelas metas estaduais – ambas são regidas pela Resolução ANA nº 379/2013

Caso todos os estados e o Distrito Federal cumpram as metas de investimentos, de cooperação federativa e de gerenciamento estadual, o PROGESTÃO 2 alavancará para o setor de recursos hídricos até R$ 168,75 milhões durante os cinco anos do Programa. 

No primeiro ciclo do PROGESTÃO, Mato Grosso recebeu repasses de R$ 3,71 milhões, proporcionais ao cumprimento das metas de cooperação federativa e das metas de gerenciamento estadual. Estes recursos representaram 98,9% do total que o estado poderia ter recebido: R$ 3,75 milhões. Com a entrada de Mato Grosso no segundo ciclo, será possível consolidar os avanços na gestão de água e superar os desafios do setor de recursos hídricos do estado. 

Antes do Mato Grosso, outros cinco estados já tinham aderido ao PROGESTÃO 2: Piauí, Rondônia, Paraíba, Alagoas e Paraná. Todos eles finalizaram o primeiro ciclo em 2016 e estavam aptos a participar. Goiás, Sergipe e Rio de Janeiro também podem participar, mas ainda não celebraram contrato com a ANA. Em 2018 poderão aderir mais dez estados: Acre, Amazonas, Bahia, Espírito Santo, Maranhão, Mato Grosso do Sul, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul e Tocantins. Em 2019 estarão elegíveis Ceará, Minas Gerais, Pará, Roraima e Santa Catarina. Em 2020 poderão entrar: Amapá, Distrito Federal e São Paulo. 

Para participar do PROGESTÃO 2, o governador de cada estado ou do Distrito Federal deve encaminhar ofício para o diretor-presidente da ANA manifestando interesse na adesão ao novo ciclo do Programa. Cada UF deve encaminhar este documento até nove meses a partir do encerramento da vigência do contrato do primeiro ciclo do PROGESTÃO. Caso este prazo não seja seguido, o Programa será interrompido nos estados que não seguirem as regras da Resolução ANA nº 1.506/2017. 

PROGESTÃO 

No primeiro ciclo do PROGESTÃO – após o cumprimento de metas pactuadas com os estados e aprovadas pela ANA e por seus respectivos conselhos estaduais de recursos hídricos – cada unidade da Federação pode receber até cinco parcelas de até R$ 750 mil da Agência, totalizando R$ 101,25 milhões para os 26 estados e o DF. Todas as UFs aderiram ao Programa e assinaram contrato com a ANA. Mais de R$ 73 milhões já foram repassados aos estados e ao Distrito Federal desde 2013. 

Além de buscar fortalecer institucional e operacionalmente a gestão de recursos hídricos em âmbito estadual e melhorar a articulação da União com os estados e o DF em prol da gestão dos recursos hídricos de interesse comum, o Programa tem o objetivo de promover a governança da água para garantir a oferta do recurso em quantidade e qualidade para os brasileiros no presente e no futuro. Saiba mais sobre o PROGESTÃO em: http://progestao.ana.gov.br.