Você está aqui: Página Inicial > Notícias antigas > Uso racional da água é a solução para a preservação desse recurso

Uso racional da água é a solução para a preservação desse recurso

por Tribuna Rural (DF) publicado 14/03/2011 00h00, última modificação 15/03/2019 09h32
Racionalizar o uso da água não significa ficar sem ela. Significa usá-la sem desperdício. Considerá-la uma prioridade social e ambiental, para que a água tratada e saudável nunca falte em nossas torneiras.

Neyfla Garcia

Racionalizar o uso da água não significa ficar sem ela. Significa usá-la sem desperdício. Considerá-la uma prioridade social e ambiental, para que a água tratada e saudável nunca falte em nossas torneiras.

Um estudo realizado pela WWF Brasil revela que de toda a água existente no mundo, 97,5% estão nos mares e oceanos e apenas 2,5% estão em geleiras, rios, lagos e águas subterrâneas, chamadas de “água doce”. Desta quantidade, menos de 1% está disponível para consumo. Imaginemos que se 1 litro representasse toda a água do mundo, a água doce corresponderia a 28 ml ou um copinho de café, ou seja, a água disponível para o homem seria de 6,27 ml.

No Brasil, a distribuição da água não é uniforme. Na região Amazônica se concentra mais de 40% do volume de água doce, enquanto no Nordeste, muitos municípios enfrentam o problema da falta de água.

A falta de água é um somatório de fatores; primeiramente é a questão da distribuição; em segundo lugar, a concentração de propriedades próximas às nascentes e por último, o uso de forma inadequada. O gasto de água é elevado e poderia ser reduzidos pela aplicação de alguns métodos de uso racional. Segundo o gerente de Conservação de Água e Solos da Agência Nacional de Águas (ANA), Devanir Garcia dos Santos, ao se pensar no consumo, é preciso tentar mudar a consciência do usuário para hábitos simples como na hora do banho, evitar deixar o chuveiro ligado; ao lavar uma louça não deixar a torneira aberta constantemente.

“Por meio de campanhas, temos procurado incentivar o uso de forma consciente, mas acredito que ainda faltam algumas ações por parte do governo que beneficiem o consumidor, ou melhor, que o incentive a evitar o desperdício”, ressalta Devanir Santos.

O gerente explica, que na medida em que se consegue reduzir o volume de água gasto nas atividades diárias, menos esgoto é produzido. “O consumo exagerado gera degradação ambiental, pois ao se abrir uma torneira, não estamos apenas consumindo água, mas também alimentando toda a rede de esgoto”, alerta.

Pequenos cuidados fazem muita diferença na conta e na minimização do desperdício. Devemos visar o uso racional da água no cotidiano através de iniciativas que tenham como objetivo reduzir o seu consumo e estimular a adoção de novas atitudes e comportamentos. A população deve pensar e agir visando o crescimento econômico e respeitando a capacidade dos recursos do meio ambiente, sobretudo a água. 

Texto:Tribuna Rural (DF)