Você está aqui: Página Inicial > Notícias antigas > Royalties de R$ 163 milhões

Royalties de R$ 163 milhões

por Fonte: Brasil Energia publicado 08/03/2010 00h00, última modificação 14/03/2019 16h40
As dez usinas hidrelétricas de Furnas pagaram, em 2009, R$ 163,7 milhões em Compensação Financeira pela Utilização de Recursos Hídricos (CFURH), conhecido como o royalty da Água. A quantia é 7% maior que a repassada em 2008. O valor é repartido entre a União, estados e municípios que hospedam os reservatórios.

As dez usinas hidrelétricas de Furnas pagaram, em 2009, R$ 163,7 milhões em Compensação Financeira pela Utilização de Recursos Hídricos (CFURH), conhecido como o royalty da Água. A quantia é 7% maior que a repassada em 2008. O valor é repartido entre a União, estados e municípios que hospedam os reservatórios.

Ao todo, 139 cidades – dos estados de Minas Gerais, Mato Grosso, Goiás, Rio de Janeiro, São Paulo e Distrito Federal – foram beneficiadas com R$ 65,5 milhões. Soma igual foi destinada ao governo desses estados. Minas Gerais, maior área de atuação da empresa, teve o maior repasse (R$ 38,8 milhões), seguido de Goiás (R$ 14,9 milhões), São Paulo (R$ 9,1 milhões) e Rio de Janeiro (R$ 1,5 milhão).

Os ministérios de Meio Ambiente e de Minas e Energia receberam R$ 4,4 milhões cada. O Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico ficou com R$ 5,8 milhões e a Agência Nacional de Águas (ANA), com R$ 18,2 milhões.

Além das usinas próprias, Furnas pagou também royalties referentes à Enerpeixe – empresa operadora da Usina Peixe Angical (452 MW, TO) na qual tem 40% de participação – e  Baguari (140 MW, MG), em que participa com 15%. Em 2009, essas empresas pagaram em royalties R$ 9,1 milhões e R$ 410 mil, respectivamente.

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) gerencia a arrecadação e a distribuição dos recursos da CFURH. A compensação é repassada mensalmente e não pode ser usada para pagamento de folha de pessoal ou para quitar dívidas, exceto as contratadas junto à União. As quantias representam um grande reforço de caixa para estados e municípios, possibilitando a oferta de melhores serviços públicos à população.

Texto:Fonte: Brasil Energia