Você está aqui: Página Inicial > Notícias antigas > Reunião busca estratégias para prevenir enchentes

Reunião busca estratégias para prevenir enchentes

por Fonte: O Povo publicado 16/07/2010 00h00, última modificação 15/03/2019 09h19
No Encontro, representantes de Pernambuco e Alagoas, estados atingidos pelas fortes chuvas em junho, compartilharam experiências que podem ajudar a prevenir as enchentes
No Encontro, representantes de Pernambuco e Alagoas, estados atingidos pelas fortes chuvas em junho, compartilharam experiências que podem ajudar a prevenir as enchentes

Gabriela Meneses
A catástrofe provocada pelas chuvas em Pernambuco e Alagoas, no mês passado, deixou os estados do Nordeste em alerta. A região que costuma ser assolada pela seca presenciou a devastação de algumas de suas cidades pelas cheias dos rios. Para evitar que o problema se repita, paralelo à reconstrução das cidades, Pernambuco e Alagoas estão estudando medidas de prevenção de enchentes e de estragos causados pelas cheias. O resultado vale para os outros estados da região, inclusive para o Ceará.

O Encontro dos Secretários Estaduais dos Recursos Hídricos, realizado ontem na sede da Companhia de gestão de recursos hídricos, em Fortaleza, foi o momento de compartilhar as experiências.

Mapear as áreas de risco de inundação para restringir a construção de casas e prédios públicos às margens dos rios foi destacada como uma das principais medidas de prevenção dos estragos causados pelas cheias. A ideia, segundo o secretário estadual do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos de Alagoas, Alex Gama, é preservar a vida humana, caso alguma enchente assole a região.

Uma medida que pode evitar perdas, principalmente humanas, conforme o superintendente de Usos Múltiplos da Agência Nacional das Águas (ANA), Joaquim Gondim, que tem acompanhado a reconstrução das cidades destruídas pelas chuvas, é a melhoria do sistema de alerta hidrológico
das bacias, que adverte quanto ao risco de ocorrência de enchentes.

Para o secretário dos Recursos Hídricos e Energéticos de Pernambuco, João Bosco de Almeida, foi o alerta do Laboratório de Meteorologia de Pernambuco, no dia anterior às fortes chuvas, que evitou um maior número de mortes. “Eles perceberam a onda que estava entrando na região do
Agreste, avisaram ao Governo e deu tempo avisar a muitos prefeitos que a população desocupasse as áreas de risco”, detalhou o secretário.

E-MAIS
O titular da Secretaria Estadual dos Recursos Hídricos do Ceará, César Augusto Pinheiro, garantiu que quanto às obras hídricas, o Estado está preparado para enchentes. “O Ceará está preparado porque tem em todos os grandes rios barragens para conter as águas”.

Na prevenção de enchentes, o destaque no evento foi para a construção de obras hídricas. “Um conjunto de obras hídricas, por exemplo, impediu uma tragédia maior na Região Metropolitana de Recife. O sistema de contenção de cheias funcionou. O problema lá foi só deslizamento de terra”, exemplificou o secretário de Pernambuco. Ele citou também o caso da barragem de Garanhuns que suportou acumular 12 milhões de metros cúbicos de água, evitando que a água escoasse para outras cidades do estado e também de Alagoas.
SAIBA MAIS
Em Pernambuco e Alagoas, o secretário Alex Gama adiantou que, em parceria com o Governo Federal, obras estruturais para conter enchentes serão executadas.

Em Alagoas, 15 cidades ainda estão em estado de calamidade pública e quatro estão em estado de emergência. Já em Pernambuco, 12 estão em estado de calamidade pública e 27 em situação de emergência.
Texto:Fonte: O Povo