Você está aqui: Página Inicial > Notícias antigas > Recursos Hídricos : ANA e Embaixada da Espanha firmam acordo

Recursos Hídricos : ANA e Embaixada da Espanha firmam acordo

por ASCOM/ANA publicado 23/10/2006 00h00, última modificação 14/03/2019 16h38
O diretor-presidente da Agência Nacional de Águas - ANA, José Machado e o embaixador da Espanha no Brasil, Ricardo Peidró Conde assinam nesta terça-feira (24/10), às 10h30m, na sede da agência, em Brasília, plano de implementação da cooperação técnica entre os dois países na área de recursos

O diretor-presidente da Agência Nacional de Águas - ANA, José Machado e o embaixador da Espanha no Brasil, Ricardo Peidró Conde assinam nesta terça-feira (24/10), às 10h30m, na sede da agência, em Brasília, plano de implementação da cooperação técnica entre os dois países na área de recursos hídricos.

Em dezembro de 2004, o Ministério do Meio Ambiente do Brasil e o Ministério do Meio Ambiente da Espanha firmaram um entendimento para realizar cooperação técnica na área de recursos hídricos. Coube a ANA e ao Ministério do Meio Ambiente espanhol sua implementação que engloba as seguintes áreas temáticas: a gestão de recursos hídricos em regiões semi-áridas; prevenção dos efeitos das secas e inundações; gestão de recursos hídricos por bacias hidrográficas e sistemas de informações hidrológicas.

Semi-árido

No Brasil, cerca de 14 milhões de pessoas vivem no semi-árido. Na Espanha, a região semi-árida compreende toda a parte central da depressão do Ebro e o Sudoeste peninsular. Dada a dimensão do desafio, os dois países buscam a cooperação na busca de alternativas para o uso racional e sustentável da água nestas regiões.

Outro tema prioritário para a cooperação é a prevenção e diminuição dos efeitos das secas e inundações. Os técnicos dos dois países pretendem iniciar um intercâmbio de experiências para minimizar o impacto das situações críticas, para a obtenção e a divulgação de informações e a modelação matemática dos fenômenos hidrológicos, para estabelecer modelos de previsão e soluções e também desenvolver modelos de apoio à decisão para as bacias hidrográficas e a implantação de sistemas de alerta.