Você está aqui: Página Inicial > Notícias antigas > Programa de Cisternas brasileiro receberá apoio da Espanha

Programa de Cisternas brasileiro receberá apoio da Espanha

por Fonte: Olhar Direto publicado 27/01/2010 23h00, última modificação 14/03/2019 16h39
O Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) - responsável pelo Programa de Cisternas, em parceria com Estados, Municípios e entidades da sociedade civil - promove seminário entre representantes dos dois países para planejamento da cooperação.
Da assessoria - MDS
O Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) - responsável pelo Programa de Cisternas, em parceria com Estados, Municípios e entidades da sociedade civil - promove seminário entre representantes dos dois países para planejamento da cooperação.
 
A construção de cisternas cmo meio de acesso à alimentação será o tema central de um seminário para planejamento de cooperação da Espanha com o governo brasileiro. A reunião de trabalho, promovida pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), será nesta quinta-feira (28/1), das 9h30 às 18h30, no Centro de Convenções Instituto Israel Pinheiro de Brasília (DF).
 
Durante o encontro, organizado pela Secretaria Nacional de Segurança Alimentar (SESAN) do MDS, representantes dos dois países discutirão a parceria no programa de acesso à alimentação por meio da construção de cisternas.
 
Acesso à água - A cisterna é uma tecnologia popular para a captação de água da chuva e representa solução de acesso a recursos hídricos para a população rural dispersa do Semiárido brasileiro. Construída com placas de cimento, els permite armazenar 16 mil litros de água, o suficiente para o uso de uma família de cinco pessoas durante o longo período da seca que se estende por até oito meses.
 
O Programa do MDS visa o acesso, o gerenciamento e a valorização da água como um direito essencial da vida e da cidadania, ampliando a compreensão e a prática da convivência sustentável e solidária com o ecossistema do Semiárido.
 
O público das cisternas são famílias de baixa renda, que moram na área rural de Municípios daquela região e que não dispõem de fonte de água ou meio de armazená-la adequadamente para o suprimento de suas necessidades básicas.
 
As famílias que já possuem uma cisterna – e hoje têm água para consumir, cozinhar e utilizar na higiene pessoal – a chamada “primeira água”, podem receber um segundo tanque para armazenamento, projeto conhecido como “segunda água”. Nestes casos, a água captada das chuvas é utilizada, exclusivamente, na agricultura familiar.
 
Programação – Na reunião desta quinta-feira, em Brasília, cerca de 30 pessoas das três esferas de governo no Brasil e também da sociedade civil definirão as diretrizes, os resultados esperados, as metas, os prazos e o cronograma de atividades para 2010. Participam representantes dos ministérios do Desenvolvimento Social e Combate à Fome e do Meio Ambiente; dos governos do Ceará e da Bahia; das Prefeituras Municipais de três Estados – Ceará, Bahia e Alagoas; da Agência Nacional de Águas (ANA); do Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Consea); e da Organização Não-Governamental Articulação no Semiárido Brasileiro (ASA), além de dirigentes da Agência de Cooperação Espanhola no Brasil.
 
A abertura do encontro, às 9h30, será feita pelo secretário nacional de Segurança Alimentar e Nutricional do MDS, Crispim Moreira, seguida do painel sobre “Cooperação Brasil-Espanha” proferida pelo coordenador-geral do Escritório Agência de Cooperação Espanhola (AECID), Pedro Flores Urbano.
 
Às 10h30, o secretário Crispim apresenta a proposta de planejamento para orientar a cooperação e depois haverá um diálogo com convidados: Elza Braga (Consea), Walquíria Smith (ASA), Hamilton Pereira (ANA), Camilo Santana do Governo do Ceará, Ana Torquato do Governo da Bahia e Edilson Ramos representando Municípios de Alagoas.
O seminário se encerra às 18h30 com a aprovação do planejamento e da agenda para 2010.
 

Texto:Fonte: Olhar Direto