Você está aqui: Página Inicial > Notícias antigas > Monitorada bem de perto

Monitorada bem de perto

por Fonte: Jornal de Brasília publicado 23/03/2010 00h00, última modificação 14/03/2019 16h40
Uma nova forma de monitorar as bacias hidrográficas do Distrito Federal. Esse é o intuito da Agência Reguladora de Águas, Energia e saneamento básico do DF (Adasa), lançado em comemoração ao Dia Mundial da Água. Com a nova rede hidrometeorológica, que inclui 44 estações de monitoramento das águas superficiais, o controle será pleno entre as sete bacias hidrográficas do DF.
Nova rede com 44 estações terá pleno controle das sete bacias hidrográficas

Raisa Lopes
Uma nova forma de monitorar as bacias hidrográficas do Distrito Federal. Esse é o intuito da Agência Reguladora de Águas, Energia e saneamento básico do DF (Adasa), lançado em comemoração ao Dia Mundial da Água. Com a nova rede hidrometeorológica, que inclui 44 estações de monitoramento das águas superficiais, o controle será pleno entre as sete bacias hidrográficas do DF.

A Adasa ainda pode emitir outorgas de captação de recursos hídricos da União e cadastrar usuários no novo site da agência. A rede hidrometeorológica de monitoramento das águas superficiais do DF tem pontos de referência de coleta de amostras de água dos rios para a determinação da qualidade. As novas estações ainda fazem leitura e acumulação contínua do nível da água e da quantidade de chuva nas sete bacias hidrográficas. Além disso, os equipamentos de ponta ainda realizam o fornecimento de elementos que auxiliam na gestão do uso da água e do
controle da disponibilidade hídrica.

O presidente da Agência Nacional das Águas (ANA), Vicente Andreus, afirmou que com a nova gestão de outorga, a Adasa deve ter maior poder de articulação entre os demais estados do País.

"A Adasa vai ter uma visão completa dos recursos hídricos. Com isso, a Agência irá fazer um balanço geral das demais bacias que interagem com as do DF." O processo de regularização, renovação e transferência da outorga pela Adasa foi iniciado em julho de 2005 nas regiões
hidrográficas do DF, bacias do Rio Descoberto/Corumbá, Lago Paranoá, Maranhão, São Bartolomeu, São Marcos e Preto. "O serviço da Adasa é acompanhar as instruções de captação de água consciente pelo usuário. E ainda monitorar os laudos de sanidade da água ou qualquer interferência na qualidade ou quantidade", afirma o superintendente da Adasa, Diógenes Martori.

CONTROLE
A proposta da outorga é controlar o sistema de captação de água. "Com a outorga é possível otimizar o sistema e diminuir o excesso de captação da água. Com isso, mais usuários serão outorgados, beneficiando a todos que fazem uso da permissão", diz Martori. Ele também ressalta que a água tem uso múltiplo. "A outorga permite total controle do sistema. Assim, todos os outorgados são orientados a não atingir os pescadores ou a vida aquática, garantindo ainda a
vazão ecológica das bacias", lembra o superintendente da Adasa. Em cinco anos de regularização de concessão de água no DF, a Adasa já registrou quatro mil outorgas. Cerca de 500 processos de outorga serão analisados pela Adasa até o mês que vem. A meta da Agência é concluir pelo
menos dois mil processos de permissão de uso até o fim desse ano. A Agência tem ainda a meta de identificar e outorgar cerca de 30 mil usuários nos próximos anos.
O superintendente da Adasa diz que o objetivo é cadastrar os usuários para estabelecer o controle de disponibilidade e quantidade da água. "A Adasa tem o Plano de Gerenciamento Integrado de Recursos Hídricos (PGIRH), onde é possível organizar a quantidade de vazão de água disponível do DF. A missão é confrontar esses dados com a demanda de usuários para melhor atendê-los", afirma Mortari. De acordo com Hamilton Carvalho, meteorologista do Instituto Nacional de
Meteorologia (Inmet), os primeiros meses do ano egistraram chuvas abaixo da média. "No fim de 2009 as chuvas foram equilibradas. Mas de janeiro até a segunda quinzena de março desse ano, o volume de água reduziu bem". Isso poderia acarretar em problemas no período da seca.

O meteorologista esclarece que as chuvas em áreas agrícolas foram suficientes apesar da média ter sido abaixo nos últimos dois meses. No entanto, as bacias hidrográficas podem registrar redução do nível de água e afetar os usuários das outorgas. "O volume de água foi bem
distribuído nas lavouras até agora. Mas como as chuvas foram abaixo da média, o volume de água nas bacias pode ser menor. Isso depende de como é realizada a retenção dessa água nas bacias", ressalta. Hamilton ainda alerta que em janeiro choveu menos da metade prevista para todo o mês.  E o mês de fevereiro também choveu abaixo do estimado. "Março, até agora, só registrou 87,5 milímetros dos 180,9 da média para todo o mês", conta.
SAIBA +
A Organização das Nações Unidas (ONU) criou o Dia Mundial da Água em 1992, sendo comemorado desde 1993. O objetivo do dia é assegurar a manutenção da oferta adequada de água de boa qualidade para toda a população do mundo. Além de preservar as funções hidrológicas, biológicas e químicas dos ecossistemas. Todos os anos a ONU define um tema para ações entre os países membros. Esse ano o tema é: água limpa para um mundo saudável. Para cadastrar usuários de captação de água é só acessar o
site www.adasa.df.gov.br.

 
Texto:Fonte: Jornal de Brasília