Você está aqui: Página Inicial > Notícias antigas > Governo cria agenda para salvar o Rio Araguaia

Governo cria agenda para salvar o Rio Araguaia

por Fonte: Em Questão (Secretaria de Comunicação da Presidência da República) publicado 19/05/2010 00h00, última modificação 14/03/2019 16h42
O Ministério do Meio Ambiente (MMA) e o Ministério Público (MP) de Goiás vão trabalhar em parceria pela proteção e conservação do Rio Araguaia.

O Ministério do Meio Ambiente (MMA) e o Ministério Público (MP) de Goiás vão trabalhar em parceria pela proteção e conservação do Rio Araguaia.

Para a ministra do MMA, Izabella Teixeira, uma agenda comum pode melhorar a gestão pública, com transparência de ações, fortalecendo a proteção dos recursos hídricos e do Cerrado. “A agenda ambiental brasileira é muito maior e mais rica do que só a da Amazônia”, ressaltou.

A ministra do Meio Ambiente apresentou nesta terça-feira (18), aos representantes do MP goiano, algumas ações que podem ajudar a preservação e o uso sustentável do rio. O procurador-geral de Justiça de Goiás, Eduardo Moura, veio a Brasília pedir apoio do MMA para a preservação das nascentes do Araguaia.

A parceria vai começar pela nascente do rio. O procurador-geral apresentou à ministra o programa de proteção das nascentes, chamado de Mapeando para Proteger. Segundo ele, o projeto permitiu a realização do Cadastro Ambiental Rural (CAR) de todas as propriedades do município de Mineiros (GO) e está fazendo agora em Santa Rita do Araguaia - duas cidades goianas onde nasce o Rio Araguaia. “Queremos a solução de problemas, por isso viemos com o dever de casa já pronto”, ressaltou.

Moura explicou que a nascente do rio foi escolhida como o início de uma ação para proteger todo o Araguaia, que passa pelos estados de Mato Grosso, Tocantins, Maranhão e Pará. Ele acredita que a implementação do PPCerrado pode começar pela aquela região. O Ministério Público já desenvolveu uma série de atividades na área da nascente.

A parceria entre MMA e MP do Goiás deverá resultar em acordo de cooperação e um plano de trabalho. A ministra sugeriu que a Agência Nacional de Águas (ANA) coordene a parceria para a segurança do debate, independente da mudança do governo.

O Rio Araguaia tem 2.114 km de extensão. Algumas atividades como plantações, caça e pesca predatória vêm matando lentamente o rio. A área também sofre com a degradação do solo e com grandes voçorocas. Para resolver esses problemas, deverão ser fechadas parcerias com governos federal e estaduais, universidades e sociedade.

O Ministério do Meio Ambiente tem várias estratégias para a proteção do Cerrado, como o Plano de Prevenção e Controle do Desmatamento e das Queimadas no Cerrado (PPCerrado), o Plano Estratégico da Bacia do Araguaia/Tocantins e o Programa Mais Ambiente.

Saiba mais sobre os principais rios e bacias do país no Portal Brasil.



Texto:Fonte: Em Questão (Secretaria de Comunicação da Presidência da República)