Você está aqui: Página Inicial > Notícias antigas > Especialistas avaliam Carta de Princípios Cooperativos pela Água

Especialistas avaliam Carta de Princípios Cooperativos pela Água

por Ascom/ANA publicado 22/03/2010 00h00, última modificação 14/03/2019 16h40
O último tema de debate do evento oficial em celebração ao Dia Mundial da Água no Brasil foi a avaliação da Carta de Princípios Cooperativos pela Água, assinada durante o Dia Mundial da Água de 2007 em Foz do Iguaçu, também no Paraná. Em 2010, o evento ocorre na sede do Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento (Lactec), em Curitiba, e é realizado pela Agência Nacional de Águas (ANA), pelo Lactec e pela Fundação Roberto Marinho. Entre outros especialistas, discutiu o assunto o diretor da ANA, Paulo Varella.
Palestrantes abordam aspectos práticos sobre a Carta
O último tema de debate do evento oficial em celebração ao Dia Mundial da Água no Brasil foi a avaliação da Carta de Princípios Cooperativos pela Água, assinada durante o Dia Mundial da Água de 2007 em Foz do Iguaçu, também no Paraná. Em 2010, o evento ocorre na sede do Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento (Lactec), em Curitiba, e é realizado pela Agência Nacional de Águas (ANA), pelo Lactec e pela Fundação Roberto Marinho. Entre outros especialistas, discutiu o assunto o diretor da ANA, Paulo Varella.
 
O diretor da ANA tratou dos caminhos para efetivar os princípios propostos na Carta e do arcabouço jurídico institucional para fazer frente aos desafios enfrentados pelo setor de recursos hídricos do Brasil. Varella também ressaltou que a água pode e deve ser utilizada sustentavelmente pelos diversos setores que necessitam dela, como irrigação e hidreletricidade, em conformidade com os fundamentos da Política Nacional de Recursos Hídricos, que tem entre seus instrumentos: a outorga de direito de uso da água, a cobrança pelo uso de recursos hídricos, o enquadramento de corpos d’água, os planos de recursos hídricos e o Sistema de Informações sobre recursos hídricos. “O gargalo é implementar os instrumentos da Política”, conclui.
 
Para o diretor da Itaipu Binacional, Nelton Friedrich, a humanidade ainda não possui o senso de urgência que deveria ter diante dos desafios atuais relacionados à água, apesar de ter conhecimento para enfrentá-los. “O caminho existe. É preciso caminhar”, afirma. Conforme Friedrich, o setor empresarial tem que buscar não somente o lucro, mas também adotar ações de responsabilidade socioambiental, pois mesmo os consumidores têm adotado, cada vez mais, medidas de consumo sustentável. O diretor da Itaipu também fez um balanço das ações socioambientais da empresa binacional, em especial sobre o Programa Cultivando Água Boa, que já recuperou 70 microbacias em 29 municípios paranaenses que compõem a bacia hidrográfica do rio Paraná III.
 
Segundo o gerente de Desenvolvimento e Regulação da Navegação Interior da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq), Adalberto Tokarski, é necessário que o Brasil invista no transporte hidroviário, pois é uma atividade que não compromete nem a qualidade nem a qualidade dos corpos hídricos onde é desenvolvida. Além disso, de acordo com Tokarski, as hidrovias são uma alternativa mais econômica e menos poluente para o País.
 
Dia Mundial da Água
 
Durante a 2ª Conferência Mundial para o Meio Ambiente e Desenvolvimento (Eco 92), realizada no Rio de Janeiro, definiu-se que no dia 22 de março de cada ano seria celebrado do Dia Mundial da Água. Com a instituição do Dia Mundial da Água, os países foram convidados a aderir às recomendações da Organização das Nações Unidas (ONU) referentes aos recursos hídricos, conforme os contextos de cada país. A cada ano a ONU escolhe um tema para a data. Em 22 de março também é celebrado anualmente o Dia Nacional da Água, o qual foi instituído em 14 de maio de 2003, por meio da Lei nº 10.670. Para mais informações, acesse: www.ana.gov.br/aguasdemarco/2010/
Texto:Ascom/ANA
Foto:Raylton Alves/ Banco de Imagens ANA