Você está aqui: Página Inicial > Notícias antigas > Especialistas apontam avanços e desafios nos dez anos da Lei das Águas

Especialistas apontam avanços e desafios nos dez anos da Lei das Águas

por ASCOM/ANA publicado 29/08/2007 00h00, última modificação 14/03/2019 16h38
Durante toda a manhã desta quarta-feira (29/8), especialistas da área de recursos hídricos e de meio ambiente estiveram reunidos no Seminário 9.433+10: Avaliação dos Dez Anos da Política Nacional de Recursos Hídricos. O evento acontece de hoje até amanhã (30/8) no auditório da Agência Nacional de Á
Durante toda a manhã desta quarta-feira (29/8), especialistas da área de recursos hídricos e de meio ambiente estiveram reunidos no Seminário 9.433+10: Avaliação dos Dez Anos da Política Nacional de Recursos Hídricos. O evento acontece de hoje até amanhã (30/8) no auditório da Agência Nacional de Águas (ANA), em Brasília.

A mesa de abertura contou com a participação do diretor-presidente da Agência, José Machado; do secretário-executivo do Ministério do Meio Ambiente (MMA), João Paulo Capobianco; do presidente da Comissão de Meio Ambiente do Senado, Leomar Quintanilha; do presidente da Comissão de Meio Ambiente da Câmara dos Deputados, Nilson Pinto; da chefe do Escritório do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) no Brasil, Cristina Montenegro; e da embaixadora de Israel, Tzipora Rimón.

Todos eles foram enfáticos ao falar da relevância da Lei das Águas e dos avanços ocorridos desde a sua aprovação. “A gestão compartilhada dos recursos hídricos, com a criação da ANA, do Conselho Nacional de Recursos Hídricos e dos Comitês de Bacias, é um dos muitos resultados da Lei n.º 9.433”, afirmou o diretor-presidente da ANA.

Entretanto, os comentários foram além. Segundo Machado, ainda há muito a ser feito. “O Brasil enfrenta situações muito díspares simultaneamente: há regiões com escassez de água, outras com abundância, e há ainda aquelas que possuem muita água, mas o seu consumo é inviabilizado por conta da poluição”, acrescentou o secretário-executivo do MMA, João Paulo Capobianco. “O nosso desafio ainda é enorme”, concluiu.

Diagnóstico
O primeiro seminário de hoje esboçou um diagnóstico da Política Nacional de Recursos Hídricos, definida pela Lei das Águas. Coordenada por Bruno Pagnoccheschi, diretor da ANA, a discussão foi impulsionada a partir de palestra do diretor da Associação Brasileira de Recursos Hídricos (ABRH), Francisco Lobato.

Os debatedores da mesa foram: Luciano Zica, secretário de Recursos Hídricos e Ambiente Urbano do MMA; Raymundo Garrido, da Universidade Federal da Bahia, e Rubem La Laina Porto.