Você está aqui: Página Inicial > Notícias antigas > Comitê do rio Doce aprova, por unanimidade, Plano da Bacia

Comitê do rio Doce aprova, por unanimidade, Plano da Bacia

por Ascom ANA/CBH-Doce publicado 15/07/2010 00h00, última modificação 15/03/2019 09h19
O Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Doce (CBH-Doce) aprovou, por unanimidade, o Plano Integrado de Recursos Hídricos da Bacia Hidrográfica do Rio Doce (PIRH-Doce). A votação foi realizada nesta quarta-feira (14/07) em Governador Valadares (MG), durante a 11ª Reunião Extraordinária do Comitê.
Rio Doce em Governador Valadares
O Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Doce (CBH-Doce) aprovou, por unanimidade, o Plano Integrado de Recursos Hídricos da Bacia Hidrográfica do Rio Doce (PIRH-Doce). A votação do Plano foi realizada nesta quarta-feira (14/07) em Governador Valadares, Minas Gerais, durante a 11ª Reunião Extraordinária do Comitê.  Participaram da reunião a secretária de Estado de Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Espírito Santo, Maria da Glória Brito Abaurre; a diretora-geral do Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam), Cleide Pedroza; o superintendente de apoio à gestão de recursos hídricos da Agência Nacional de Águas (ANA), Rodrigo Flecha, além de diversas autoridades e prefeitos da região.

O PIRH-Doce é uma realização do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Doce e de mais nove comitês com atuação na Bacia.  Ele foi viabilizado por meio de uma parceria entre a ANA, o Igam e o Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Espírito Santo (IEMA). O Plano contém um diagnóstico dos principais problemas, disponibilidades e demandas por água na Bacia, assim como as diretrizes para gestão dos recursos hídricos e ações para recuperação hídrica com o objetivo de garantir água em qualidade e quantidade adequadas aos seus usos no presente e para as futuras gerações.  A participação social na construção do Plano foi de vital importância para a legitimação do processo e, para isso, foram realizadas 30 reuniões públicas em toda a bacia e o controle técnico foi feito pelos órgãos gestores e por representantes dos 10 Comitês.
 
A implementação e a manutenção dos programas e subprogramas necessários para melhorar a qualidade e a quantidade de água na Bacia nos próximos 10 anos demandarão investimentos estimados em R$ 1,34 bilhão.
 
Com a finalidade de implementar os programas e projetos do PIRH-Doce, a diretoria do Comitê está em articulação com os governos federal e estaduais para discutir o direcionamento de recursos e comprometer os Ministérios e Secretarias dos Governos Federal e Estaduais. Neste sentido, foram realizadas reuniões em Brasília com representantes do Ministério do Meio Ambiente, do Ministério das Cidades, do Ministério da Integração Nacional e da Agência Nacional de Águas.  A diretoria do Comitê também realizou em Minas Gerais uma reunião de articulação entre a Assembléia Legislativa e as secretarias Estaduais de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, de Planejamento e de Desenvolvimento Regional e Política Urbana.
 
Texto:Ascom ANA/CBH-Doce
Foto:Claudia Dianni/Banco de Imagens da ANA