Você está aqui: Página Inicial > Notícias antigas > Aquífero Guarani terá sistema de informações unificado

Aquífero Guarani terá sistema de informações unificado

por ASCOM/ANA publicado 19/05/2010 00h00, última modificação 14/03/2019 16h41
A Agência Nacional de Águas (ANA) vai concluir o Nó Nacional do sistema de informações do aquifero Guarani em seis meses. Este é o prazo para o funcionamento do servidor no qual a ANA reunirá todas as informações para o monitoramento do Guarani.
O diretor da ANA, Paulo Varella, conduziu a reunião com a CPRM e a SRHU durante os dias 18 e 19 deste mês na sede da Agência
A Agência Nacional de Águas (ANA) vai finalizar o Nó Nacional do sistema de informações do Aquífero Guarani em até seis meses. Este é o prazo para o funcionamento do servidor no qual a ANA reunirá todas as informações para o monitoramento do aquífero Guarani, como os dados sobre poços fornecidos pelos estados brasileiros que compreendem o Aquífero (São Paulo, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Goiás, Minas Gerais, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul). Futuramente, esse Nó Nacional brasileiro estará interligado com o nó nacional do sistema de informações dos demais países que compreendem aquífero Guarani: Argentina, Paraguai e Uruguai.

A definição do prazo foi um dos resultados da reunião de articulação entre a ANA juntamente com a Secretaria de Recursos Hídricos e Ambiente Urbano (SRHU), do Ministério do Meio Ambiente (MMA), e a Companhia de Pesquisa e Recursos Minerais (CPRM), órgão ligado ao Ministério das Minas e Energia (MME), realizada entre os dias 18 e 19 de maio, na sede da ANA em Brasília.

De acordo com a Resolução 107 do Conselho Nacional de Recursos Hídricos (CNRH), de 13 de abril de 2010, a ANA passará a ser responsável, juntamente com os estados, pela coordenação e planejamento da Rede Nacional de monitoramento das águas subterrâneas a fim de estabelecer a referência de sua qualidade e viabilizar o enquadramento das classes. A CPRM fica responsável pela implementação, operação e manutenção da Rede Nacional de Monitoramento Integrado Qualitativo de Águas Subterrâneas, e a manutenção das informações será feita em conjunto com os estados, como determina a resolução. Nesse caminho, a ANA vem estruturando um módulo – Águas Subterrâneas – dentro do Sistema Nacional de Informações sobre Recursos Hídricos (Snirh), que estará interligado com o Sistema de Informação de Águas Subterrâneas (Siagas), da CPRM.
 
O diretor da ANA Paulo Varella conduziu o encontro do qual participaram o diretor da CPRM José Ribeiro Mendes, o Secretário de Recursos Hídricos e Ambiente Urbano Silvano Silvério e os diretores da SRHU Julio Kettelhut e Marco Neves, acompanhados de técnicos dos três órgãos, entre assessores, consultores, coordenadores e superintendentes.
 
“A próxima reunião para planejamento sobre a estruturação da Rede Nacional de Monitoramento será em agosto e a previsão é que ela inicie as operações até o final de 2010”, informou o gerente de águas subterrâneas da ANA, Fernando Roberto de Oliveira, que também participou da reunião.
Texto:ASCOM/ANA
Foto:Rosana Hessel/Banco de Imagens ANA