Você está aqui: Página Inicial > Notícias antigas > ANA destaca importância de revisar operação do Cantareira

ANA destaca importância de revisar operação do Cantareira

por ASCOM/ANA publicado 13/05/2010 00h00, última modificação 14/03/2019 16h41
O plano de contingência para operar os reservatórios do Sistema Cantareira, no interior paulista, no próximo período de cheias, está em fase de revisão e será concluído até setembro. O Sistema Cantereira é responsável pelo abastecimento de aproximadamente 50% da região metropolitana de São Paulo.
Joaquim Gondim participou de audiência pública na Câmara para debater a questão da abertura das comportas no Sistema Cantareira
O plano de contingência para operar os reservatórios do Sistema Cantareira, no interior paulista, responsável pelo abastecimento de aproximadamente 50% da região metropolitana de São Paulo, está em fase de revisão e será concluído até setembro. O novo plano será aplicado no próximo período de cheias e será elaborado pela Sabesp a partir de diretrizes formuladas pela Agência Nacional de Águas (ANA) e o Departamento de Águas e Energia Elétrica do Estado de São Paulo (DAEE), com a participação do Comitê de Bacia dos rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí (PCJ).
 
"É preciso aprimorar as ações para que as mesmas dificuldades registradas no final do ano passado não sejam enfrentadas no futuro", afirmou o superintendente de usos múltiplos Joaquim Gondim durante a Audiência Pública realizada nesta quinta-feira (13/05) na Comissão de Meio Ambiente da Câmara dos Deputados. Ele lembrou que, em novembro de 2009, a ANA alertou a sociedade sobre as previsões, segundos as quais as chuvas para aquele período seriam acima do normal. Além disso, a agência apresentou a lista dos reservatórios que estavam com níveis acima da média dos últimos anos.
 
"Esse novo plano vai adotar um grau de proteção maior do que o atual, para minimizar os efeitos das cheias", disse Gondim. Segundo ele, o projeto de lei que estabelece a Política Nacional de Segurança de Barragens (PL 168/2009), em tramitação no Senado, também será importante para definir melhor a responsabilidade e os métodos de gestão das barragens em momentos críticos.
 
A Audiência Pública foi solicitada pelo deputado Sarney Filho (PV-MA) para debater os aspectos relacionados à abertura das comportas das represas do Sistema Cantareira no final de 2009. Além do superintendente da ANA, foram convidados o diretor da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), Paulo Massato Yoshimoto, o superintendente do DAEE, Amauri Luiz Pastorello, e o chefe da Divisão de Operações do Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), José Antonio Aravéquia.
 
Durante a apresentação na Audiência, o diretor da Sabesp informou que as chuvas ocorridas entre dezembro de 2009 e janeiro de 2010 foram acima do normal e da média dos últimos 80 anos e que todas as medidas de segurança previstas foram adotadas. "O que choveu em apenas dois meses (quase 1,3 mil milímetros) foi o equivalente às chuvas de um ano inteiro. Seriam necessários dois reservatórios para abrigar todo o volume despejado naquela região", disse Yoshimoto.
 
O deputado Paulo Teixeira (PT-SP), co-autor do requerimento e que também presidiu a mesa na segunda parte da audiência, lamentou a ausência do representante do DAEE e afirmou que irá fazer um novo requerimento convocando o DAEE para mais explicações.
Texto:ASCOM/ANA
Foto:Rosana Hessel/Banco de Imagens ANA