Você está aqui: Página Inicial > Notícias antigas > Água para hoje e amanhã

Água para hoje e amanhã

por Fonte: EPTV.com publicado 02/07/2010 00h00, última modificação 15/03/2019 09h19
Foi lançado esta semana, pela ANA (Agência Nacional de Águas), o Programa Nacional de Avaliação da Qualidade das Águas (PNQA). A intenção é manter os recursos hídricos do País com quantidade e qualidade suficientes, sobretudo aos que virão.
ANA lança Programa de Avaliação da Qualidade das Águas
02/07/2010 - 09:10
fonte: MMA/ ANA

    Foi lançado esta semana, pela ANA (Agência Nacional de Águas), o Programa Nacional de Avaliação da Qualidade das Águas (PNQA). A intenção é manter os recursos hídricos do País com quantidade e qualidade suficientes, sobretudo aos que virão. 
 
A intenção da ANA é ampliar o conhecimento sobre a qualidade das águas superficiais no Brasil por meio de cooperação com todos os Estados brasileiros, representados pelos órgãos gestores estaduais de recursos hídricos e de meio ambiente. Já assinaram o Termo de Cooperação para integrar o programa os Estados do Pará, Alagoas, Bahia, Pernambuco, Rio de Janeiro, Mato Grosso, Minas Gerais, Sergipe, Paraná e Roraima. 
 
Conjuntamente ao PNQA foi lançado o portal da Qualidade das Águas (http://pnqa.ana.gov.br), onde é possível ter às mãos informações sobre 3,3 mil estações de tratamento da água da ANA e de instituições parceiras cadastradas na base de dados do HidroWeb. 
 
Gráficos e mapas também fornecem o caminho para aqueles que desejam conhecer sobre o processo de degradação e depuração dos rios. Para Paulo Libânio, especialista em recursos hídricos, "a informação pode gerar um ciclo virtuoso onde avaliação produz conhecimento que produz ação e que por sua vez produz novamente avaliação, numa onda crescente de qualidade." 
 
Os recursos estimados para toda a implementação do programa é de R$ 95 milhões (até 2015). Na última quarta-feira foi assinado também um acordo de doação de U$ 800 mil do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) para Agência Nacional de Águas (ANA), que faz a gestão do PNQA. Os demais recursos virão, segundo o diretor da ANA, Paulo Varela, do próximo Plano Plurianual da União, já dotado de orçamento específico para as águas de superfície. 
Vicente Andreu, presidente da ANA, aproveitou o lançamento para comentar o novo Código Florestal, em pauta de votação em Brasília. Para ele, "a proposta de redução das áreas de proteção permanente (APP) hídricas para os rios de pequeno porte é contraditória", afirmou. Ele fez questão de destacar que os menores rios são os que mais precisam de cuidados.
 
Texto:Fonte: EPTV.com