Você está aqui: Página Inicial > Notícias antigas > Água e desenvolvimento: ANA e Ministério da Agricultura firmam acordo para o uso racional de água na agricultura

Água e desenvolvimento: ANA e Ministério da Agricultura firmam acordo para o uso racional de água na agricultura

por ASCOM/ANA publicado 13/12/2006 23h00, última modificação 14/03/2019 16h36
O diretor-presidente da Agência Nacional de Águas (ANA), José Machado, e o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Luis Carlos Guedes Pinto, assinam amanhã (15/12) termo de cooperação técnica para articular as políticas agrícolas, de irrigação e de recursos hídricos. A celebração do acor
O diretor-presidente da Agência Nacional de Águas (ANA), José Machado, e o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Luis Carlos Guedes Pinto, assinam amanhã (15/12) termo de cooperação técnica para articular as políticas agrícolas, de irrigação e de recursos hídricos. A celebração do acordo acontece às 10h, na sede da Agência.

O setor rural brasileiro consome aproximadamente 82% da água extraída. Desse montante, a irrigação responde por 69%. Daí a necessidade de uma articulação entre o setor hídrico e agrícola, construindo uma agenda comum, voltada para o desenvolvimento econômico, para a gestão da quantidade e da qualidade da água e para a manutenção do equilíbrio do ciclo hidrológico nas bacias.

“O acordo deve impulsionar a irrigação sustentável, unindo esforços para o uso racional da água e do solo”, afirma Machado.

No Brasil, há 3,5 milhões de hectares irrigados, o correspondente a cerca de 6% da área plantada. Em contrapartida, a produção advinda da irrigação é responsável por 35% da renda gerada pela agricultura. Esses números são modestos ao se considerar que o País abriga mais de 20 milhões de hectares irrigáveis.

Acordo de cooperação
Para racionalizar a utilização dos recursos hídricos e dos solos, o termo prevê a identificação de áreas irrigáveis, a disciplina do uso da água por meio da outorga, o incentivo a práticas conservacionistas de manejo nas microbacias e o reuso de água na irrigação.

Além disso, o acordo tem como objetivo promover a articulação dos setores produtivos já durante a elaboração dos Planos de Recursos Hídricos. Com isso, espera-se conseguir aliar as aptidões agrícolas da área à disponibilidade hídrica do local em questão. O projeto-piloto para essa experiência será realizado na região hidrográfica dos rios Tocantins e Araguaia. Lá, a irrigação responde por 65% da água consumida. Em seguida, estão a pecuária (20%) e o abastecimento urbano (11%). Os 4% restantes ficam por conta do abastecimento rural e das indústrias.

Ao assinarem o termo de cooperação, a ANA e o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) assumem ainda o compromisso de trabalharem para a criação do Centro de Referência da Irrigação, o qual vai servir para aprimorar técnicas de irrigação, bem como qualificar pessoal para o setor.

Quadro da irrigação
- No mundo, a área plantada é de 1,4 bilhão de hectares. Cerca de um quinto dessas terras são irrigadas, respondendo por quase 50% da produção mundial de alimentos.
- O Brasil tem mais de 60 milhões de hectares plantados e produz uma média de 120 milhões de toneladas de grãos. Em um quarto de século, a produtividade de toneladas por hectare dobrou, o que se deve, em grande parte, ao aumento do uso da irrigação.