Você está aqui: Página Inicial > Notícias antigas > Agência alerta para a possibilidade de agravamento das cheias no São Francisco

Agência alerta para a possibilidade de agravamento das cheias no São Francisco

por ASCOM/ANA publicado 06/02/2007 23h00, última modificação 14/03/2019 16h36
As chuvas na bacia do rio São Francisco devem causar mais transtornos à população ribeirinha nos próximos dias. É o que alerta a Agência Nacional de Águas (ANA), a partir de dados do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), da Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf), da Defesa Civil e
As chuvas na bacia do rio São Francisco devem causar mais transtornos à população ribeirinha nos próximos dias. É o que alerta a Agência Nacional de Águas (ANA), a partir de dados do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), da Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf), da Defesa Civil e de estações da Agência operadas pelo Serviço Geológico do Brasil (CPRM).

Preocupada com a situação, a ANA enviou hoje (7/2) uma mensagem eletrônica para as Secretarias Estaduais de Recursos Hídricos de Alagoas, Bahia, Pernambuco e Sergipe, alertando para a situação.

“A ANA tem se empenhado no fortalecimento da articulação com a Chesf, o ONS, os governos estaduais e a Defesa Civil, com o intuito de intensificar e agilizar a troca de informações”, afirma Dalvino Franca, diretor da Agência. “Isso, sem dúvida, vai permitir que as decisões sejam tomadas em tempo hábil e de modo eficaz, amenizando os efeitos de eventos críticos e facilitando o atendimento emergencial à população da região”, conclui.

O reservatório de Sobradinho, na Bahia, por exemplo, está com 79,1% de sua capacidade de armazenamento cheia. Para manter um espaço vazio no reservatório e evitar o transbordamento de água – o que pioraria a situação –, a vazão máxima de água a ser liberado é de 8.000m3/s, conforme definição da Comissão Interministerial de Estudos para Controle de Cheias do Rio São Francisco.

Segundo a Chesf, as vazões vão continuar a crescer nos próximos dias, podendo alcançar 7.000m3/s durante a segunda quinzena de fevereiro. Entre 2005 e 2006, o maior volume liberado pelo reservatório foi de 3.601m3/s – destaca-se aqui, no entanto, que as chuvas estiveram concentradas em locais distintos dos deste ano.

A Chesf chama a atenção, ainda, para o reservatório de Xingó, que enfrenta situação semelhante à de Sobradinho.

Sala de Situação da ANA

Face à ocorrência de sucessivos eventos críticos e à necessidade de acompanhá-los em tempo real, de forma sistemática e pró-ativa, fornecendo respostas com maior agilidade e precisão, a ANA aprovou a criação, em 2004, de sua Sala de Situação. Em funcionamento desde maio de 2006, a iniciativa funciona como um centro de gestão de situações críticas.